quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

GRUPO ESPERANÇA DE VIVER (Alcoólicos Anônimos)


Como representante dos professores, tive a graça de receber um convite dos que fazem o grupo dos alcoólicos anônimos, “Esperança de Viver”, de Coreaú. Na oportunidade, vivenciei coisas brilhantes naquela sala de recuperação. O mais interessante e gratificante foi ouvir tantos depoimentos de pessoas que perderam quase tudo em decorrência daquele maléfico vício social. As histórias de vida estão imbricadas uma nas outras, ou seja, tem tudo em comum; os companheiros deixaram transparecer que a bebida, inexoravelmente, transforma qualquer cidadão num derrotado, num ser moralmente acabado, com identidades e vidas transgredidas. Num dos depoimentos, um cidadão chegou a fazer um comentário o qual eu considerei muito especial: na sua volta pra dentro de si mesmo, no seu olhar penetrante para dentro da sua própria consciência, ele disse que “o marchante mata pra tirar o couro, enquanto o álcool tira o coro, pra depois matar”. Isso é verdade! Primeiro aquela droga licita, e totalmente ilícita para o organismo físico e social, destrói toda a identidade de um ser humano; ele perde bens pessoais, desestrutura famílias inteiras, enfim, acomete o homem e a mulher em todos os sentidos e, depois de longos e sofridos anos, chega a ceifar definitivamente a vida.
 Seria muito salutar se o grupo “Esperança de Viver” batesse o batente das nossas escolas, em caráter preventivo, para levar uma palavra amiga e fraterna aos jovens que estão começando a trilhar um caminho tortuoso, maléfico e perigoso. Parabéns ao grupo, e aqui deixo o meu reconhecimento do seu importante trabalho social e, em nome dos que fazem a educação de Coreaú, formalizo um convite àqueles que são vitimas do álcool a participarem das reuniões. O sublime e voluntário trabalho merece receber todos os bons predicativos. É um trabalho feito por pessoas simples, porém, corajosas que não desistiram no momento difícil de suas vidas, lutaram contra uma chaga que mata muita gente em todo o mundo.
 Os que fazem o “Esperança de Viver”, fraternalmente se ajudam, como quem está no seio de uma grande família, unida e feliz!! Termino estas linhas com a “Oração da Serenidade”, proferida sempre quando os companheiros se reúnem. Diante do que vi e senti, posso dizer que aqueles “soldados” da vida podem ser chamados de plantadores e colhedores do amor, da saúde, do sucesso, da paz, da harmonia, enfim, da vida plena e abundante! Todos os que fazem parte do grupo Alcoólicos Anônimos, de maneira geral, pedem, em comunhão, “a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar, coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir uma das outras”. 

(Davi Portela)
Recebido por e-mail



quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Coreaú, Uruoca e Chaval aderiram ao Programa de Proteção à Cidadania (Pró-Cidadania)



Para desenvolver o setor de segurança pública no Interior do Estado, o governador Cid Gomes lançou, no final de 2009, o Programa de Proteção à Cidadania (Pró-Cidadania). De acordo com o Governador, a nova força policial vai permitir que os moradores de municípios com menos de 50 mil habitantes ou onde o Ronda não for implantado “se sintam mais seguros”. Tauá foi a primeira cidade onde o programa foi implantado. A meta é de 100 municípios conveniados e a formação de 2 mil agentes de cidadania. O Governo do Estado tem o papel de repassar recursos financeiros e equipamentos, mediante à celebração de convênios”, confirmou o governador. Os recrutas passaram por um criterioso processo de capacitação de 200 horas/aula com ênfase na valorização da cidadania, na segurança comunitária e na prevenção ao uso das drogas. Todos receberão fardamento completo, uma viatura tipo caminhonete, equipamentos de radio comunicação e armamento não letal. Em nossa região o Programa será implantado em chaval, Uruoca e Coreaú. Segundo informações obtidas pelo blog, Barroquinha não aderiu ao programa. O Camocim Online conseguiu, com exclusividade, uma foto, no pátio, em Fortaleza, das viaturas que serão disponibilizadas para os municípios que adotaram o Pró-Cidadania. Agora é aguardar a finalização do processo de seleção dos agentes.

Fonte: Camocim On-line

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

A Chegada do Prefeito Chico no Céu




O Seu Chico foi ao céu
E pediu o seu ingresso.
Disse: - Eu quero entrar!
Fui prefeito de sucesso,
A todos os eleitores
Fiz todos os favores.
Abra a porta, te peço!

São Pedro disse assim:
- Olhe, Francisco Cristino,
A coisa não é assim, não!
Vá cumprir o seu destino,
Tem uma pena a pagar,
E agora não pode entrar
Neste sagrado recinto!

- Então qual é o problema?
Juro que isso não sabia!
Abra a porta, caro santo,
Tu és apenas o vigia!
Fui prefeito no sertão,
Agradei o meu povão
E rezava todo dia!

- Tenha calma, senhor Chico!
Respeite a autoridade,
Tenha mais educação,
Peça-me com humildade,
Pois aqui não há prefeito,
Favor, peça com mais jeito,
Deixe a popularidade!

- Se foi um bom homem público,
Se foi ótimo prefeito,
Vejo o que posso fazer,
Talvez daremos um jeito.
Mas se maltratou o povo,
Se foi aquele estorvo,
Aqui eu não lhe aceito!

- Quem manda não é você!
Vá falar com seu patrão.
Diga que é o Chico da Bomba,
O homem arrasta-povão,
Se não, chamo a minha gente,
Arregaço este batente,
Boto tudo aqui no chão!



- Você acha que pode tudo?!
Lá na terra, até podia!
Porém aqui não se engane,
Tem a ordem todo dia.
Chame quem você quiser,
Não abro, não lhe dou fé,
Assim não dou garantia!

- Ô São Pedro, o que é?!
Ora, é um ex-prefeito!
Deus disse: - O que ele quer?
- Quer entrar de qualquer jeito!
Não conhece o seu lugar,
O portão ele quer quebrar,
Dizendo que é prefeito!

- Senhor, então o que fazer?
Disse Deus: - Vamos julgar.
Aqui não é prefeitura,
Aqui é outro lugar.
Peça que tenha paciência,
Peça que tenha prudência,
Seu caso vou estudar!

Quando Deus abriu o livro,
Estava tudo anotado,
Estava tudo escrito,
Selado e carimbado.
Deus logo reconheceu:
Prefeito assim não nasceu,
E então foi perdoado!

E disse: - Chico, homem bom,
Sei dos seus pecados,
De você ouvi muito falar.
Mas tenho um recado:
Foi um chefe trabalhador,
Um homem empreendedor,
Merece ser agraciado!

No livro do julgamento
Tá o que realizou,
O que é bom e o que mal,
Tudo o livro registrou.
Todas aquelas fraquezas,
As suas ações benfazejas,
Vi que ao povo agradou!

Disse São Pedro: - Pois entre!
Agora sei da verdade!
Ninguém vem sem julgamento,
Sei que fez a caridade.
Mesmo sendo pecador,
Tinha fé com muito ardor
E muito fez à cidade!

- Fez muito por Ubaúna,
Aroeira e Araquém.
Governou com muita fibra,
Fazia sem olhar a quem.
Elegeu seu sucessor,
Foi um grande vencedor,
A ti o povo queria bem!

De todas as suas obras,
Falo da mais importante,
Cito a água da Cagece,
É o livro que garante!
Abro-te a porta pra entrar,
Foi o melhor do lugar,
Foi prefeito atuante!

Entre no jardim eterno,
Viva na paz e no amor,
A vida agora é outra,
Sinta a luz do Criador.
Esqueça a sua velha Palma,
Agora mantenha a calma,
Seja um servo do Senhor!



   * Davi Portela é professor em Coreaú
Recebido por e-mail


O MANEPA, ONTEM E HOJE


O leitor escute agora
Uma honrada história.
É de um cabôco limpo,
Está em minha memória.
Falo do amigo Manepa,
Homem de luta e gloria!

Tem o passado honroso,
Não cometeu indecência.
O que fala e escreve,
Nunca foi só aparência,
Teve briosa juventude,
E é homem de ciência!

Hoje trabalha no banco,
Sua vida é livro aberto,
Nem de longe é incógnita,
Tem o endereço certo!
É professor e bancário,
É um cronista esperto!

Pois quem for homem de bem,
Do seu lado deve estar.
Trabalha honestamente,
Pra sua receita ganhar.
Vive só pra sua prole,
É pai muito exemplar!

(Davi Portela) 
Fonte: Coreausiara


sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

O ROCEIRO E A COIVARA


Não dá mais para mudar
O que é modo de vida.
Da roça vive o pobre,
Eita que vida sofrida!
Mesmo naquela secura,
Pede a Deus nas alturas,
Benção, coragem e guarida!

O roceiro vive assim:
A enxada é seu trator,
O fogo é limpa chão,
Eis aí o seu labor!
O suor a cair na terra,
Mas não reclama nem berra
Tudo faz com muito amor!

Quando broca o roçado,
Ajunta logo a coivara,
O garrancho espinhento,
Faz aceiro, juntas as varas.
Lá vai fogo, São Lourenço!
Vai ter inverno, assim penso!
E tira o suor da cara!

(Davi Portela) 

Postado por RM no foco



quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Festejos de São Sebastião de Campanário


Em frente a igreja de São Sebastião



Momento de louvor na missa


Rua movimentada 
Por ocasião dos festejos de São Sebastião dei uma passadinha no charmoso distrito de Campanário. Era última novena e a igreja estava lotada de fiéis devotos do mártire santo, a pracinha tradicionalmente lotada de visitantes, vendedores e muitos coreauenses lá estavam prestigiando o novenário.

Hoje dia 20 comemora-se o dia de São Sebastião, conheça um pouco da história.


Originário de Narbonne e cidadão de Milão - França, foi um mártire santo cristão, morto durante a perseguição levada a cabo pelo imperador romano Diocleciano. O seu nome deriva do grego sebastós, que significa divino, venerável (que seguia a beatitude da cidade suprema e da glória altíssima). De acordo com Actos apócrifos, atribuídos a Santo Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas. Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiliano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal - a Guarda Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia). Foi dado como morto e atirado no rio, porém, Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Irene (Santa Irene), foi depois levado novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que lhe fosse espancado até a morte. Mesmo assim, ele não teria morrido.


Acabou sendo morto transpassado por uma lança.


Existem inconsistências no relato da vida de São Sebastião: Historicamente o edito que autorizava a perseguição sistemática dos cristãos pelo Império foi publicado apenas em 303 (depois da Era Comum), pelo que a data tradicional do martírio de São Sebastião parece um pouco precoce. O simbolismo na História, como no caso de Jonas, Noé e também de São Sebastião, é vista, pelas lideranças cristãs atuais, como alegoria, mito, fragmento de estórias, uma construção histórica que atravessou séculos. O bárbaro método de execução de São Sebastião fez dele um tema recorrente na arte medieval - surgindo geralmente representado como um jovem amarrado a uma estaca e perfurado por várias setas (flechas); de resto, três setas, uma em pala e duas em aspa, atadas por um fio, constituem o seu símbolo heráldico.


Tal como São Jorge, Sebastião foi um dos soldados romanos mártires e santos, cujo culto nasceu noséculo IV e que atingiu o seu auge na Baixa Idade Média, designadamente nos séculos XIV e XV, tanto na Igreja Católica como na Igreja Ortodoxa. Embora os seus martírios possam provocar algum ceticismo junto dos estudiosos atuais, certos detalhes são consistentes com atitudes de mártires cristãos seus contemporâneos.

INTERIOR, VIDA BOA


Nasci no interior,   
Vi a velha caximbeira
Fumando o seu pau-ronca,
Era aquela fumaceira!
Foi a doutora do sertão,
Maria Batista, a parteira!

Nos idos de 78,
Deixei meu solo-torrão,
Cheguei a minha velha Palma,
Com trapos em caminhão,
Porém, nunca  esqueci
Aquele lugar, meu chão!

Foram tempos campesinos
Os meus anos de criança
Tudo era natural:leite...
O arroz... ah! que abastança!
De quando em vez, lá eu volto
Pra reviver minha infância

   (Davi Portela)

Matutagem no Sertão



 
 
 

 Cena comum no sertão. A vizinhança se reúne e em clima de festa realizam a chamada matutagem. O trabalho coletivo começa deste o abate até a cozinha onde as mulheres se juntam para a realização da tarefa de cozinhar a fuçura (víceras) que será o prato principal do dia, enquanto que os homens cuidam do retalhamento da carne e da tradição de salgar e colocar para secar no sol.
Uma tradição que ainda é cultivada em algumas localidades da zona rural é a chamada vizinhança, ou seja, ato de dar ou presentear os vizinhos com um pedaço de carne, atitude que será recíproca por todos das proximidades.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Saindo a caça de votos


Roberto Pessoa (PR), prefeito de Maracanaú e pretenso postulante ao governo do Estado, conta com o apoio de ex governador Lúcio Alcântara, estiveram visitando o município de Coreaú. Segundo informações do blog Coreauonline, eles estiveram no distrito de Ubaúna. Hoje pela manhã um helicóptero sobrevoou a cidade de Coreaú e uma equipe uniformizada na praça do mercado público são indícios de que se tratava de uma visita em clima de campanha eleitoral.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

"SIGNIFICATIVA CONTRIBUIÇÃO "

   Nenhum professor de História poderá contar a História do Brasil, sem falar da maravilhosa contribuição negra. Essa gente (os negros) sofreu muito até aqui e carregou, por todos esses anos, a canga da produção de alimentos e de tantos outros produtos que consumimos.
   Dizem que o racismo está dimimuindo. Pode está. Mas muito lentamente. Ainda existe muito preconceito velado. Como diz em sua obra o professor Milton Santos: 'A sociedade brasileira sempre olhou o negro de forma vesga!'.
   Cabe a cada um de nós, varrer um pouco dessa cinza do racismo todos os dias, para que possamos chegar um dia a uma sociedade que se perceba. Que se perceba negra, branca,índia, etc. Somos o resultado do caldeamento de várias raças, graças a Deus!
   Daí vem a nossa boniteza (e não beleza), como queria o magistral Darcy Ribeiro.Se você é negro, o meu abraço mais fraterno !"


   João Teles de Aguiar
   Fortaleza-CE.

Auto Escola Palma inicia aulas hoje


Começa hoje as aulas teóricas da Auto Escola Palma. Depois de sair de greve os funcionários do DETRAN-CE voltaram as atividades normais, com isso, os candidatos a 1º CNH de Coreaú, começarão amanha a ter as aula teóricas da CFC Palma.

Se você completou 18 anos e pensa em tirar a Carteira Nacional de Habilitação, então fique atento as medidas necessárias para fazer a mesma. Os documentos necessários, parte importante do processo, são a Carteira de Identidadae, xerox e original; CPF, cópia e original; duas fotos 3×4 coloridas, além de pagar a taxa de primeira habilitação. Com isto em mãos procure a Auto Escola Palma, é de confiança e tem um bom preço.



Após o pagamento das taxas referentes ao processo de Primeira Habilitação, serão marcados os primeiros exames junto ao órgão. Os exames iniciais para a Primeira Habilitação são os exames de Aptidão Física e Mental e Avaliação Psicológica. Após a aprovação nestes exames, o aluno poderá iniciar as 45 horas/aula teóricas. Estas aulas abrangem os seguintes conteúdos: Legislação de Trânsito– 18 h/a; Direção Defensiva – 16 h/a; Noções de Primeiros Socorros – 4 h/a; Noções de Proteção e Respeito ao Meio Ambiente e de Convívio Social no Trânsito – 4 h/a e Noções sobre Funcionamento do Veículo de 2 e 4 rodas – 3 h/a. O número de aulas pode ser aumentado de acordo com o rendimento do aluno. Ao término das aulas fará o exame escrito sobre o conteúdo programático desenvolvido neste curso, que consiste numa prova com 30 questões, devendo o candidato acertar, no mínimo, 21 delas..
Fonte: RM no Foco

Comentário a respeito do abastecimento d'água em Angicos

O amigo e companheiro de rádio Miguel Gonçalo é destas raras figura que dia após dia luta discretamente a luta do beija flor na floresta fumegante. É um exemplo em sua comunidade. Lider que faz a diferênça. Faça chuva ou faça sol. Quem dera cada localidade desta terra tivesse o seu Migué. Com certeza a qualidade de vida desta gente eram melhor. Tenho dito... E sempre!!! 

Manuel de Jesus



quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Rádios comunitárias poderão obter certificado de utilidade pública‏


A Câmara analisa o Projeto de Lei 5826/09, apresentado pelo deputado Ciro Pedrosa (PV-MG), que permite que rádios comunitárias que funcionam há mais de três anos sejam declaradas de “utilidade pública”. Isso permitirá que as associações que dirigem as rádios recebam doações de pessoas jurídicas, dedutíveis no Imposto de Renda até o limite de 2% sobre o lucro operacional da empresa.
Pela proposta, as rádios que queiram o certificado de utilidade pública não devem ter ligação com o poder público, não podem ter fins lucrativos e os diretores não podem ser remunerados. O prazo de três anos deve ser contado a partir da data da publicação da respectiva portaria de autorização pelo Ministério das Comunicações. O texto, no entanto, não prevê quais serão os passos para a obtenção do certificado. Conforme dados do Ministério das Comunicações, havia 3.653 emissoras de radiodifusão comunitária autorizadas a operar em todo o Brasil em março de 2009.
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição de Justiça e Cidadania. Pedrosa acredita que “é justo reconhecer esse importante trabalho desempenhado pelas rádios comunitárias, dando a elas a possibilidade de serem reconhecidas como entidades de utilidade pública”, disse.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Tributo ao Seu Alexandre Capoeira


Seu Alexandre Capoeira
Foi um homem de primor,
Instruído e informado,
Proseava com rigor
Da Radio Club ouvia
Do salário, o seu valor.

Foi muito conhecedor
Do enfermo que morreria.
Quando fitava o doente,
Logo esperança perdia
E a família tinha medo
Do prenúncio que ouvia.

Já foi maior delegado
Ao prender,  ninguém soltava.
Foi coveiro da cidade
Disso ninguém duvidava
Pois guardava o campo santo
E sempre à porta estava.

Foi o homem mais teimoso
De toda a redondeza.
Digo e não peço segredo
Afirmo com a certeza,
A teimosia foi sua marca
Ao contar suas proezas.

Aqui fica o meu respeito
E pêsames à família.
Dona Maria Capoeira,
Sua esposa e simpatia
Foi um autêntico casal
No amor, sempre vivia.


Davi Portela

Abastecimento d'água em Angicos



Sistema de Abastecimento d'água




Rio Juazeiro perene

O sistema de abastecimento d’água da localidade de Angicos beneficia atualmente 101 famílias, sendo 57 de Angicos e 44 da localidade de Injeitado. O benefício foi financiado pelo Projeto São José, sendo fruto de parceria da Associação Comunitária dos Produtores de Angicos, com o Sistema Integrado de Saneamento Rural – SISAR e Bacias do Acaraú e Coreaúa  e conta com 12 km de rede de distribuição de água tratada que sai do rio Juazeiro diretamente para a torneira dos beneficiários nas suas residências.    
Em conversa com o presidente da Associação o Sr. Miguel Gonçalo (foto acima) que nos falou do novo projeto que está sendo alavancado para aquela comunidade, trata-se de uma usina de beneficiamento de grãos, orçada em 100 mil reais, já contando com a contra-partida de 10% da Associação, e, que será financiada pelo Banco Mundial através da Secretaria de Desenvolvimento Agrário.



Nota de Falecimento


Faleceu na madrugada de hoje o Sr. Alexandre Capoeira, bastante conhecido da população por exercer por mais de vinte anos a profissão de coveiro e também responsável pela chave do cemitério.
O falecido era esposo da Senhora Maria Capoeira conhecida rezadeira da cidade. Queremos através desta página, levar os sinceros votos de pesar a família enlutada.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

A trajetória dos trabalhadores do carnaubal


A produção de pó cerífero de carnaúba, em 2008, somou 18.468 toneladas em todo Brasil. O maior produtor nacional é o Piauí, com 12.454 toneladas, ou 67,4% do total produzido no País, na segunda posição está o Ceará, com 5.492 toneladas.


No ranking dos 20 maiores municípios produtores, oito são cearenses: Granja, Camocim, Coreaú, Santana do Acaraú, Moraújo, Morrinhos, Cariré e Uruoca.


Em conjunto, os 20 maiores municípios produtores foram responsáveis por 55,2% da produção nacional de pó cerífero de carnaúba em 2008.


A industria do pó da carnaúba vai desde a produção de velas até a confecção de chapéu artesanal, o que pouca gente sabe é que para que se chegue ao produto final uma longa jornada é percorrida.




A reportagem do Blog Publimarkes acompanhou um dia de trabalho e toda trajetória dos trabalhadores diarista do carnaubal bem como cada etapa da palha da carnaúba até que se chegue ao chamado ouro branco e conversou com arrendatário Francisco Filho que está no ramo há 16 anos. Ele conta que trabalhar durante todo verão com uma equipe de 20 homens é preciso acima de tudo muita coragem, pois tem muito dinheiro em jogo.

Durante todo verão, especificamente nos meses de agosto a dezembro, tudo começa com a figura do arrendatário que é o responsável pela contratação dos trabalhadores braçais que executarão desde a derrubada da palha até a organização dos molhos de palhas secas.

Decore bem esses nomes: vareiro, aparador, desenganchador, carregador, estendedor, riscadeiras, etc.




Numa série de reportagem que iremos mostrar a partir de agora você irá conhecer passo a passo a jornada de trabalho dos trabalhadores do carnaubal.
Nas fotos você pode ver como todo trabalho se inicia. O vareiro com uma longa vara de bambu e pequena foice na ponta derruba as chamadas palhas brabas e também os olhos de carnaúba. 


Entra em sena a figura do desenganchador de palha que tem a função de tirar as palhas que ficam enganchadas na vegetação e deixar no chão.




Na seqüência o aparador de palha com uma faca afiada tira o talo espinhoso e faz os molhos de palhas para que sejam carregadas. 



Um outro personagem se responsabiliza para pegar os molhos de palhas espalhadas no mato e coloca-las num local de fácil acesso.


O carregador coloca as palhas nos animais, que levarão até o lastro.




O estendedor tem a função de espalhar toda palha no solo de forma que fiquem assim divididas: palhas braba, mediana e olhos, de forma que fiquem secas pelo sol.


A hora do lanche comunitário, o cardápio é rapadura com biscoito ou ainda café. 




Depois que as palhas estão secas, os trabalhadores farão novamente o serviço de junta-las e fazer molhos que serão amontoadas . Os olhos seguirão para um quarto fechado onde passará por outro processo.





As chamadas palhas brabas são cortadas com uma máquina que tem a função de triturar a palha e separar o pó da carnaúba que é denominado de pó preto que será ensacado e vendido no quilo para a industria.


 


As palhas trituradas recebem o nome de bagana que será espalhada na terra e servirá como adubo para a plantação. 



Com relação as palhas denominadas de olhos, estas passarão por um processo para a retirada do pó branco. E as palhas servirão para a confecção do chapéu.





A riscagem da palha é feita por mulheres que tem a pratica de separar a unidades de palhas e riscar a costa do olho da palha para facilitar a retirada do pó branco.





Depois de riscada a palha vai para a chamada prensa de madeira que recebe de forma braçal pancada de cacetetes até que o pó caia sobre o chão.


Os olhos de palhas são feitos molhos em quantidades de 100 unidades que serão vendidas para a confecção do chapéu de palha artesanal. A confecção do chapéu de palha abordaremos em outra reportagem.



Dia de Reis


Estou na capital cearence e ontem não pude postar nada com relação o dia de Reis, mais hoje vamos falar um pouco sobre essa data.

Dia 06 de janeiro dia de Reis, data de teor religiosa e folclórica. Os três reis magos: Baltasar, o Árabe, trazia incenso, significando a divindade do Menino Jesus, Belchior, o indiano, trazia ouro, sua realeza, e Gaspar o Etíope, trazia mirra, sua humanidade.
As apresentações culturais do bumba meu boi são feitas em terrenos livres, campo aberto. A sua composição dramática é de grande simplicidade. No Ceará as pessoas que fazem papel de gente são chamadas de participantes e as que representam bichos são chamadas Figuras.
Os personagens dessa história são o velho Cazuza, dono da fazenda, Donana, sua mulher, meia espalhafatosa, vez por outra, espantando a meninada, com o seu chicote especial, Mariquinha e Zabelinha, as duas cobiçadas filhas do casal, muito assediadas, pelo pelintra, jovem Bas Carrasco. Mateus e Elizeu, vaqueiro de muita confiança e muito valente. Bas Carrasco um jovem, bonito e muito convencido, metido a gostosão, aliás, muito bem trajado, usando um belo e apaixonante vocabulário, dedicado ao belo sexo, porém, muito bem vigiado por Mateus e Elizeu, os quais, não lhe dão tréguas.
Os bichos ou figuras que também fazem parte dessa história são: o boi, a burrinha, o caburé e a ema. E por fim o fantasma e outros tipos, ás vezes, introduzidos de acordo, com seus criadores, variando, em muitas localidades do Nordeste do Brasil.
Bumba é interjeição, valendo a impressão de choque, batida ou pancada. Bumba Meu Boi, equivale dizer bate, empurra, chifra meu boi. 

Patativa e as coisas do sertão




Patativa e o inverno
Patativa e o campo
Patativa e  a seca
Patativa e o canto

Assaré sua terra
Assaré seu criar
Assaré seu torrão
Assaré seu lar

Trouxe o canto da viola
Trouxe o canto satírico
Trouxe o verso camoniano
Trouxe o verso crítico

Ação destemida
Ação de criticar
Ação de poeta
Ação para mudar

Teve o dom da palavra
Teve o dom de metrificar
Teve o dom dos autodidatas
Teve o dom de poetizar

Isto é Doutor Honoris Causa
Isto é poesia
Isto é Antonio da Silva
Isto é rima e maestria

Vamos com o Patativa
Vamos cantar o sertanejo
Vamos cantar o vaqueiro
Vamos cantar com gracejo

A sua Santana é a terra naturá
A sua pátria, sua inspiração
A sua Assaré foi seu canto
A sua rima e devoção


Davi Portela

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

O Profeta popular e suas experiências


Chegada à quadra invernosa muitas são as previsões com relação o inverno, seja a FUNCEME, seja os profetas das chuvas cada um tenta prever a sua maneira como será o inverno durante os próximos meses.
A nossa reportagem conversou com o profeta popular Sr. Antônio Florêncio que é natural do município de Meruoca e que há vários anos reside na localidade de Breguedorff no município de Coreaú.
Perguntamos sobre a época em que ele começou a fazer previsões, ele nos respondeu que desde muito jovem começou a observar os astros e a atmosfera nos últimos dias de dezembro e também no inicio de janeiro. Falou que sempre costuma plantar com a terra ainda seca, pois acredita nas suas previsões embora não tenha 100% de acertos.
Com relação o ano de 2010 o profeta prevê que teremos um inverno com fortes chuvas e grandes enchentes. Essa previsão segundo ele se deve a algumas observações que vem fazendo desde o natal. Uma delas seria observar a chamada barra do natal ao amanhecer do dia 25 de dezembro.
Com suas palavras o Profeta das chuvas disse que a barra do natal estava fechada de um lado para o outro do nascente indicando o bom inverno no ano de 2010. Outra observação que ele vem fazendo é com relação as sete estrelas que nesta data se desloca do poente e já está se aproximando do meio do céu posição que indica que teremos um grande inverno.
O senhor de Antônio Florêncio fez questão de dizer que o mês de janeiro será mesclado de chuvas e sol, porém os meses de fevereiro, março, abril e maio serão de muitas chuvas e que poderá chover até o mês de junho.
Pra finalizar ele acrescentou que já plantou e que na data de hoje 04 de janeiro já tem milho e feijão nascido.



Professor Davi Portela fala sobre o rio Coreaú



Lembro com saudosismo e movido por sentimento telúrico, o Rio Coreaú em tempos idos. A velha barragem fazia a festa de nossa gente. Ao primeiro sinal das águas que corriam no seu leito, o rio era só festa! Lembro a velha canoa do seu Valto transpondo  as pessoas que vinham das localidades adjacentes, as moças a tomar banho de sol na margem direita. O “rabo da gata” foi palco de muitos carnavais. Quem não lembra do “Bico doce” travestido de mulher dançando a machinhas de carnanavais?A água, apesar de ser barrenta, não representava perigo à população. E hoje, o rio chora, agoniza pedindo respeito e socorro!! Aquele que, por muito tempo, representou diversão e entretenimento, agora se ressente ante a poluição advinda dos esgotos a céu aberto, ao lixo jogado a sua margem, às construções desordenadas, às queimadas das mata sciliares. Enfim, o rio está morto! !Se pudesse falar, com certeza, diria: “Não queimem meus cabelos.Não joguem veneno nas minhas águas.(...) O meu destino, as minhas veias e o meu sangue estão em suas mãos.”(Poema Rio Coreaú, de Benedito Lourenço). Infelizmente, o que há no nosso rio são águas de esgotos e ribanceiras de lixo. Que as autoridades competentes façam um projeto de revitalização. Ele representa a nossa memória, emprestou nome à cidade. Preservemos, pois, o que resta!Ele é parte de nossa HISTORIA, uma vez morto, morta está a nossa memória.
Davi Portela

Primeiras chuvas em Coreaú


segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Salvem o Rio Coreaú


Ontem ele era o orgulho da minha cidade e do meu povão
Hoje está agonizando pedindo socorro para a população
Ele não muito distante era limpo e belo bonito de ver
Hoje o rio é só sujeira e sem a sua ajuda sei que vai morrer.

Lembro daquelas cacimbas de águas azuis
Que tanto nos serviu
Hoje tudo está cercado, cortaram a ingá,
E queimaram os paus do rio
Acabaram com os banhos, e com as ribanceiras
Que tanto pulei
Se isso trouxe vantagens, por favor, me expliquem
Por que eu não sei.

Os pulos da ponte velha, os bodós que a gente
Pegava com as mãos 
Brincadeiras sobre as moitas dos escama peixes
Até os socavões
O campinho da barragem, o poço do carro,
Nada existe mais
Tudo por culpa de um povo que ao invés
De ir pra frente está andando pra traz.

Vamos juntar eu e você pra e encarar o desafio
De salvar o nosso rio e não o deixar morrer (bis).

Quando chegava o inverno a nossa barragem
Virava atração
Muitos banhos e pescarias o nosso rio era
A nossa diversão
Hoje dar até nojeira aquela sujeira pior não se viu
Vejam só tem porco e lama, muriçoca, lixo,
E esgoto no rio.

Vamos juntar eu e você pra e encarar o desafio
De salvar o nosso rio e não o deixar morrer (bis).

Autor: B. Gilson (Manchão)